Recursos Humanos

Archive for the ‘Capital Humano’ Category

O desenvolvimento de novas tecnologias tem ocorrido mais rapidamente que a formação de pessoal qualificado para atuar no mercado de trabalho. Para tentar conter essas diferenças, empresas investem cada vez mais em sistemas de treinamento a distância.

“No decorrer dos últimos 20 anos, em que a era industrial gradativamente cede espaço à era do conhecimento, temas tais como capital intelectual, organizações de aprendizagem e atividades intangíveis vêm contribuindo para o aumento da importância do aprendizado contínuo e destacam a gestão do conhecimento”, observa a diretora da empresa de educação a distância Universinet, Cecília Cariboni.

A companhia desenvolve métodos de treinamento a distância, sem que a empresa que utiliza o serviço tenha que locomover os funcionários a outro local. O custo para uma empresa de 200 funcionários com sede em diversas capitais brasileiras para treinar toda equipe é de aproximadamente R$ 96 mil.

 

http://www.administradores.com.br/informe-se/informativo/treinamento-a-distancia-e-opcao-para-qualificar-funcionarios/12953/

Anúncios

Altemir Carlos Farinhas

Absenteísmo é o nome dado à quantidade de faltas e aos atrasos dos empregados no trabalho, importante preocupação na administração de Recursos Humanos. E isso é um grande problema. A empresa é quem sofre com os prejuízos financeiros causados por atrasos na produção ou na entrega de mercadorias, perda de ritmo nas atividades a serem desenvolvidas, descontentamento de clientes, chefes e colegas de trabalho.

Pode até parecer que é simples e fácil resolver essa situação, mas não é. Aqueles que trabalham e se sentem sobrecarregados, comentam na “rádio corredor” tanto o que acontece com o funcionário quanto as medidas tomadas pela empresa, comentários quase sempre ampliados que vão minando o ambiente.

É preciso agir sobre as possíveis causas para estancar o prejuízo da empresa e não sobrecarregar os outros empregados. O gestor deve ficar atento ao que acontece perto e longe do seu alcance, ser um verdadeiro Sherlock Holmes, um “detetive consultor”. Ou seja, significa que o chefe pode ajudar seus funcionários, observando-os com sua habilidade de resolver problemas ou enigmas, apenas usando a faculdade de observação e de dedução.

Holmes, o personagem de Conan Doyle, demonstra ao longo das suas histórias, uma capacidade de dedução e um senso de observação impressionante, quando envolvido em algum problema. Pode passar noites sem dormir ou comer, até resolver definitivamente o enigma. Uma sugestão é fazer uma relação de perguntas e dados para identificar se o problema é financeiro.

– Quantos funcionários estão faltando?
– Com que frequência isso acontece?
– Qual a faixa salarial que mais apresenta esse comportamento?
– Quantos solicitam pedido de adiantamento de férias ou de décimo terceiro?
– Quantos estão pedindo demissão?
– O que a assistente social tem a dizer?
– E a entrevista com o médico, a ficha da anamnese diz alguma coisa?

O trabalhador pode atrasar-se ou faltar por enfrentar problemas de transporte, problemas climáticos, doenças, falecimento de um ente querido, problemas pessoais ou familiares, alcoolismo, entre outros. Atenho-me a falar sobre os problemas financeiros, dívidas ou dificuldades financeiras que tiram o sono do funcionário, que na maioria dos casos já está sem ânimo ou esperança.

Garanto que muitas dessas doenças e pressões que sofre o trabalhador tiveram sua origem ou forma potencializada por falta de administração das finanças pessoais. O empresário ou o gerente que apenas pune o funcionário, e fecha os olhos para o que está acontecendo ao redor, não compreende que está vendo apenas a ponta do iceberg. É muito mais fácil descontar e punir o empregado, porém essa não é a solução correta. O líder deve observar que o trabalhador precisa de ajuda, conversar com ele e entender que o fardo de quem está com dificuldades financeiras é muito pesado.

Endividamento dos brasileiros bate recorde e chega a R$ 555 bilhões
“Nunca o brasileiro deveu tanto. Entre cartões de crédito, cheque especial, financiamento bancário, crédito consignado, empréstimos para compra de veículos, imóveis – incluindo os recursos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) -, a dívida das famílias atingiu no fim do ano passado R$ 555 bilhões. O valor é quase 40% da renda anual da população, que engloba a massa nacional de rendimentos do trabalho e os benefícios pagos pela Previdência Social…” (Fonte: http://www.estadao.com.br – Jornalista Márcia De Chiara – 15/02/2010)

A facilidade de crédito farto, prazos cada vez mais longos, empréstimo consignado, financiamentos, limite do cheque especial, do cartão de crédito, o marketing agressivo, a compra por impulso, a falta de controle, o lançamento de novos produtos, uma infinidade de coisas que afetam o trabalhador.

Invista em ajudá-lo, caso contrário você perderá os anos que investiu nele e terá que começar tudo de novo, demitindo um para contratar outro, com a grande probabilidade de encontrar mais uma pessoa em dificuldades financeiras. Um trabalhador que recebe R$ 700,00 e trabalha a 14 meses na empresa, ao ser demitido, pode gerar um custo superior a R$ 2.000,00. Fora tudo o que já foi gasto na contratação, na preparação, com treinamentos etc.

Grandes líderes em grandes organizações estão vendo mais do que faltas ou atrasos, percebem que existe um motivo e proporcionam Educação Financeira para todos os funcionários. Somente no primeiro semestre desse ano eu já atendi muitas empresas, foram mais de 80 palestras e 17 cursos. O investimento na contratação de uma palestra, se comparado ao gasto com a demissão de um funcionário, é irrisório. Um pequeno investimento para defender o maior patrimônio da empresa, o trabalhador.

http://www.rh.com.br/Portal/Motivacao/Artigo/6790/absenteismo-e-punicao.html

Elas chegaram pra ficar e estão em todos os lugares e ocupando cargos de chefia com muita competência e determinação .

Lugar alcançado com muita garra e determinação . Aprenda como mostrar a todos o seu valor no trabalho e sua disposição de vencer sem impor aos seus colegas quem é você e sim deixa-los ver o seu real valor.

Por isso o manual da mulher bem sucedida irá lhe ajudar a ficar muito mais atenta em pequenos detalhes que as vezes passam despercebidos:

Jamais atropele a fala dos outros ou faça considerações banais apenas para dizer alguma coisa. É até melhor ficar calada do que bancar a papagaio, que só embarca na opinião dos outros e diz ”estava pensando em falar isso”, ”concordo com ela”, ”também acho”.

Seja conhecida por suas qualidades pessoais ou profissionais. Definitivamente, bajular a chefia não é uma característica que agregue valor à sua marca. Muito pelo contrário: as pessoas fogem desse tipo de gente.

Lembre-se, você sempre tem algo a aprender. Esteja sempre aberta a sugestões e críticas – de qualquer pessoa. Isso ajuda muito a crescer como profissional.

Se você pensou em uma atitude que agregue valor ao processo de trabalho, conte aos outros. Não tenha vergonha de expor seus argumentos. Escolha um momento pertinente para fazer isso, como uma reunião. O mercado de trabalho valoriza profissionais pró-ativos. Por isso, não faça algo só quando mandarem.

Dê o seu melhor sempre! A boa imagem acontece quando você é lembrada como aquela que faz a diferença. Isso quer dizer que deve ser vista como uma profissional que tem a somar dentro da empresa ou do grupo de trabalho. Nosso perfil profissional é avaliado de acordo com as características que temos a oferecer.

E não há jeito: no mercado de trabalho, criatividade, pró-atividade, motivação e liderança são qualidades cada vez mais valorizadas. Saber administrar e aperfeiçoar essas capacidades, sem dúvida, criará uma marca positiva para você.

Não force a barra querendo ser a legal do grupo. O relacionamento profissional é um processo a ser trilhado ! e existe mil maneiras de mostrar que você é capaz.

Defenda seus pontos de vista! Não é dizendo amém à chefia que você ganha respeito, mas sendo atuante, criativa e eficiente sempre se faça necessária !!!

Crie uma boa rede de relacionamentos em seu ambiente de trabalho. Afinal, são as boas referências que nos abrem portas.

Saiba que o reconhecimento de suas qualidades profissionais pode se dar de forma lenta. O importante é não desistir, pois com o tempo, o reconhecimento virá.

http://todaperfeita.com.br/manual-da-mulher-bem-sucedida/